logo Blog

DIA MUNDIAL DE COMBATE A HIPERTENSÃO ARTERIAL

A data, instituída pela Lei nº 10.439/2002, tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico preventivo e do tratamento da doença.

Prevenir e controlar os índices de hipertensão é de suma importância, já que, segundo dados do Ministério da Saúde, os problemas cardiovasculares são responsáveis por aproximadamente 300 mil mortes por ano no Brasil. Além disso, 50% dos hipertensos no Brasil ainda não sabem que têm o problema, e dos 50% dos indivíduos adultos cientes apenas 14% são pessoas que controlam seus níveis de pressão.

Também conhecida como pressão alta, a hipertensão arterial pode acometer crianças, adolescentes, adultos e idosos de ambos os sexos. Silenciosa, a doença provoca o estreitamento das artérias e faz com que o coração precise bombear o sangue com cada vez mais força para impulsioná-lo por todo organismo e depois recebê-lo de volta. “Esse processo dilata o coração, danifica as artérias e, consequentemente, favorece a ocorrência de ataques cardíacos e derrames cerebrais. Uma pessoa é considerada hipertensa quando a sua pressão arterial apresenta valores iguais ou acima de 14 por 9 (140mmHg X 90mmHg)”, esclarece Dr. Amodeo cardiologista do HCor.

A hipertensão arterial pode ser primária, quando geneticamente determinada ou secundária, quando decorrente de outros problemas de saúde, como doenças renais, da tireoide ou das suprarrenais. É fundamental diagnosticar a origem do problema, para que seja introduzido o tratamento adequado.

Tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão podem ser os sinais de alerta, entretanto, a hipertensão geralmente é silenciosa. A única maneira de diagnosticar a doença é medir a pressão regularmente. Todos devem fazer essa medição no médico, pelo menos, uma vez por ano para que qualquer alteração seja identificada o quanto antes. Para quem já tem o diagnóstico, é necessário um controle mais rigoroso, conforme orientado pelo médico. Há fatores ambientais, comportamentais e genéticos que possuem grande participação no desenvolvimento da hipertensão durante toda a vida. A obesidade, o sedentarismo, tabagismo, estresse e hábitos alimentares inadequados como ingestão elevada de álcool, sal e gordura estão no topo dos principais fatores de risco que favorecem o aumento da pressão arterial.

Além dos exames de saúde rotineiros, a adoção de um estilo de vida saudável é imprescindível para prevenir e controlar a hipertensão. Isso inclui:

  • Reduzir a ingestão de sal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o ideal é não ultrapassar cinco gramas de sal por dia (pouco menos de uma colher de chá);
  • Praticar exercícios físicos regularmente;
  • Comer mais frutas e legumes;
  • Evitar alimentos gordurosos;
  • Limitar o consumo de alimentos industrializados;
  • Não fumar;
  • Moderar o consumo de álcool;
  • Gerenciar o estresse.

Para alguns hipertensos, as mudanças de estilo de vida são suficientes para controlar a pressão arterial. Muitas vezes, porém, também é necessário o uso de medicamentos. Se você tem pressão alta, é muito importante aderir ao tratamento indicado pelo médico. Embora essa seja uma condição crônica, que não tem cura, ela pode ser controlada, e o controle adequado é essencial para evitar complicações de saúde.

Além das consequências já conhecidas para o indivíduo que não está com a pressão controlada, a pandemia se torna, neste momento, mais um fator de preocupação para esses pacientes considerados do grupo de risco para a COVID-19: estudos indicam que pessoas com doenças crônicas estão mais sujeitas a sofrerem com as versões mais graves da doença. E também com o isolamento social e a preocupação com a pandemia, é natural um maior nível de ansiedade, que pode contribuir também para o aumento da pressão arterial. Por isso, é muito importante ter atitudes que diminuam o estresse, tais como conversar com parentes e amigos por meios digitais, ler um bom livro, assistir filmes e até técnicas de meditação e relaxamento. Todas essas ações ajudam a manter a pressão controlada. As pessoas devem ficar atentas a sinais de alarme como dores fortes de cabeça e no peito, falta de ar intensa, perda de movimentos ou dificuldade para falar, que podem significar complicações graves da hipertensão arterial. Nesta situação, o paciente deve procurar um serviço de emergência para ser tratado.  Use máscara, higienize as mãos e utilize álcool gel com frequência.

 

Fontes:

Ministério da Saúde. Hipertensão: vida saudável o melhor remédio
Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas
Sociedade Brasileira de Cardiologia

Hcor

Postado em:29th Apr 2021 10:09:13

VOLTAR >>